quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Hans, Um sonho ou Pesadelo ?

Postado por Beatriz Abreu às 17:39


Finalmente terceira parte ! Me desculpem a demora, estava ocupadíssima e não pude postar antes... Mas está ai <3 Segunda parte : Hans, O fugitivo


Hans, Um sonho ou  Pesadelo ?












      O véu translúcido esvoaçava com o vento, roçando levemente sobre as bochechas carmim, deixando a mostra apenas as belas órbitas esmeraldas.
"- Venha, Hans..." - Murmurou etérea, estendendo  a mão para o garotinho de pouco menos de 5 anos.
   Caminhando confiante  pelo campo de girassóis, a donzela conduziu o menino até um coreto dourado, próximo as macieiras que naquela época  estavam carregadas de belas frutas suculentas que atraiam qualquer um que ousasse a se aproximar.
   Estava um belo dia de primavera, as flores haviam florescido e perfumado o ar com diversos aromas.
" - Quando crescer, lhe darei um belo cavalo, Hans. "
   Os olhos do menino brilharam, ele sempre quis um cavalo desde que se entendeu por gente, mas a ignorância do seu pai não lhe havia permitido isso.
   Após finalmente subir o último degrau do coreto, o garoto soltou a mão da mãe e saltitou até o alambrado de pedra que era de sua mesma altura. Empoleirou sobre as frestas apoiando o queixo sobre as mãos enquanto ouvia o trinar dos pássaros que dançavam em volta da pequena fonte de frente as árvores. 
  A rainha ficou em silêncio por breves instantes apreciando o gesto do filho. Logo em seguida, pousou uma das mãos sobre a cabeça do filho apalpando seus fios ruivos.   
   O desejo de fuga da realidade sentido pelo príncipe parecia querer roubar-lhe os pensamentos naquela manhã de setembro. O poema que leu pela manhã naquele dia, ainda estava fluente em sua mente :

O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que tem medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno
  - William Shakespeare

"- Eu sei no que está pensando, Hans.... Por que não ser um pássaro? "
  Talvez se fosse um pássaro poderia por fim, viver livre dos terrores e maus-tratos dos seus irmãos...   Mas no fundo Hans sabia que aquilo era besteira de se pensar, ele nunca poderia sair dali.
" - Mamãe, andou bebendo do estoque de vinho do Rei novamente? " - Indagou o menino num tom desanimado.
  A rainha não pode deixar de suspirar fundo ao ouvir o que o menino dissera. No que seu filho estaria se tornando ?
"- Ora Hans, não seja tão....Debochado....Um dia irá compartilhar deste céu sem que as leis o repreendam, sem que elas estejam presentes. Você é a luz deste céu, mocinho. Ilumine-o, não deixe o cinza corrompê-lo."
  O menino fechou os olhos e sem conter o suspiro de frustração, deixou que os ombros caíssem, juntamente com o olhar desolado.
"- Como ? " - Murmurou tão baixo que, se não fosse pelo silêncio ali a própria rainha não haveria escutado.
"- Apenas seja forte, pois estou aqui por você."




Apesar das coisas que vocês sempre ficam dizendo, eu não sou o vilão... 


   Estirado no pequeno barco, o ruivo ouvia os sons das próprias ondas do mar que se chocavam contra a madeira escassa, mas foi só quando a água gelada respingou  em seu rosto que ele tomou coragem para abrir os olhos.
"Sem cores em  nossas mentes, vamos vagar eternamente nesse mundo de almas vazias "

   O barco do príncipe havia naufragado numa pequena ilha ao norte de Southern Isles. Hans sabia que o rei a essa hora já haveria mandado um grupo de busca atrás de todos os ex-prisioneiros, isso incluía a ele mesmo.
    Com as pernas bambas, ele arrastou o  barco pela areia até que finalmente desabou. 




 Tão logo , o céu se tornou negro,e as faiscantes estrelas do céu já começavam a  contar uma nova história. 













0 comentários:

Postar um comentário

❖Neste blog há umas regrinhas à respeito dos comentários:❖

1- Não aceitamos "segue meu blog" sem ter o devido respeito pela postagem antes.
2- Não aceitamos palavrões e insinuações de palavrões.
3- Não participamos de tags ou raspadinhas.
4- Não arrume brigas com os leitores ou com as postadoras.
5- Se for criticar, critique com educação, do contrário, nem perca seu tempo aqui.
6- Não aceitamos comentários anônimos, e eles serão moderados, então pense duas vezes antes de falar alguma besteira.

❖Acredito que apenas precisaremos dessas regras para o blog se tornar um lugar de respeito e diversão.❖

 

Little Fanfics Copyright © 2012 Design by Amanda Inácio Vinte e poucos